Países parceiros: Turquia, Itália, Polónia, Portugal e Macedónia

País coordenador: Turquia

Coordenadora: Glória Sousa

Duração: de setembro 2020 a julho 2022 + 12 meses de prolongamento

Língua de comunicação: Inglês

Nº de alunos em mobilidade: 20

 

 

Resumo do projeto:

Este projeto tem como principais objetivos partilhar conhecimentos e práticas de forma a minimizar o fenómeno do “bullying” nas escolas e na sociedade. Alunos e professores envolvidos irão definir planos de ação, políticas e estratégias eficazes na prevenção do “bullying” e desenvolver atividades em sala de aula que promovam relacionamentos interpessoais positivos. O projeto assenta também no conhecimento da riqueza cultural e da diversidade educativa, pilares estruturantes que podem construir pontes entre todos e desenvolver uma perspetiva mais positiva dos nossos valores. Desta forma, teremos ações focadas na educação e no respeito pela individualidade e diversidade, capazes de criar um ambiente escolar integrador e salutar.

As questões ambientais e sociais são uma prioridade para nossa sociedade em transição. São grandes desafios para a União Europeia, que implementa políticas de promoção de práticas ecológicas em diferentes escalas.
Seeds for Tomorrow acolhe objetivos transversais. Em primeiro lugar, a consciencialização e aquisição de competências para a transição ecológica, que seguirá quatro eixos: alimentação, movimento, produção e consumo. Todas as atividades planeadas ao longo dos dois anos do projeto permitirão que alunos, professores e funcionários trabalhem estes conceitos. A união entre conhecimento e know-how permitirá aos alunos participar em intercâmbios em inglês, que permitirão fortalecer capacidades de argumentação e vocabulário específico. Em paralelo ao desenvolvimento de competências linguísticas, pretende-se que os alunos de cada escola desenvolvam competências sociais, graças à organização da semana de acolhimento e à partilha de culturas diferentes de país para país.
Finalmente, o projeto Seeds for Tomorrow baseia-se na criação de Convenções do Ensino Secundário para o Clima, que reúnam alunos, professores, funcionários e contribuidores externos, no final de cada semana de mobilidade, para discutir propostas de melhoria apresentadas pelos alunos.